quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Capitulo 14




Fiquei estarrecida no sofá sem saber o que pensar. O meu coração tinha batimentos frenéticos que mais parecia querer sair do meu peito. Enterrei a minha cabeça na almofada e tentei respirar fundo e acalmar-me! Aquela mensagem podia não significar nada! Passado algum tempo o meu irmão chega a casa e estranha ver-me na sala.

Rúben – Maninha?!

Matie – Olá meu querido!

Rúben – O que é que estás aqui a fazer? Aconteceu alguma coisa?

Matie – Não! Apenas tive saudades tuas e vim passar uns dias aqui…

Rúben – Ok maninha…quem é que estás a querer enganar? A mim é que não é de certeza.

Matie – Mas é verdade! Apenas quis vir aqui uns dias…

Rúben – Pois…e deixaste as tuas amigas lá? Anda lá…diz de uma vez o que se passou?

Matie – Então como está a correr a faculdade?

Rúben – Matilde Sofia…

Matie – Já te disse para não me chamares isso…

Rúben – Então diz-me o que se passou!

Matie – Foi o Rafael…

Rúben – O que é que esse tipo te fez agora?

Matie – Ele encontrou-me hoje quando chegava a casa e quer que vá jantar com ele, achas isto normal? Já não sei o que fazer mais para o tirar de cima de mim!

Rúben – Deixa estar que eu resolvo isso! Quando ele chegar vou ter uma conversa com ele de homem para homem!

Matie – Obrigada maninho! Sabes, quando queres és um querido…

Rúben – Eu sei que sou!

Matie – E não és nada convencido!

Rúben – Olha, já que estás cá podes ir fazer o jantar! É que sem os pais tenho passado a pizza e hambúrgueres! Apetecia-me algo mais faca e garfo…

Matie – Estou a ver estou! Não faças exercício para tirar essas gorduras que ficas sem namorada depressa!

Ruben – Não te preocupes comigo que eu sei bem tratar de mim!

Matie – Vê-se! – levantei-me e fui á casa-de-banho. O cesto da roupa suja estava cheio. – não sei se sabes mas inventaram uma coisa chamada máquina de lavar roupa que serve para lavar esta roupa que aqui tens!

Rúben – Mas a máquina é muito complicada! Está cheia de botões e não sei o quê!

Matie – Olha vê e aprende! Separas as cores, a cor branca de um lado, a escura noutro. Pegas num monte e levas para a máquina. Rodas o botão até ao programa 3, metes o detergente e o amaciador e pronto! O resto faz ela…

Rúben – Isso é muita coisa para o meu cérebro! Deixa isso escrito num papel para não me esquecer!

Matie – Ai minha nossa! Só tu!

Depois de preparar o jantar para mim e para o meu irmão tocam á campainha. Já sabia quem era, o meu irmão disse que ia falar com ele. Depois de sair de casa demorou quinze minutos até voltar, estava a começar a ficar deveras preocupada. Assim que chegou corri até à entrada.

Matie – Então?

Rúben – Este já foi! Não te precisas preocupar mais com ele…

Matie – A sério?

Rúben – Podes crer! Disse-lhe de forma convincente que não o queria mais perto de ti nem tu o querias perto!

Matie – Bateste-lhe?

Rúben – Achas? Só lhe fiz ver as coisas de forma diferente!

Matie – Espero bem que sim! Não quero receber noticias a dizer que ele foi parar ao hospital por tua causa…

Rúben – Está descansada que não! Agora quero comer…

***

Entrei no meu quarto e preparei-me para dormir. Tirei o meu pijama da mala, desmaquilhei-me e enfiei-me debaixo do lençol. Peguei no telemóvel que estava na mesa-de-cabeceira e li novamente a mensagem que o Liam tinha-me enviado. Estava cansada, acabei por fechar os olhos por uns instantes. O meu telemóvel, porém, decide tocar e acordei meia atordoada. Olhei para o visor, era o Liam. Ajeitei-me na cama muito rapidamente inconscientemente e atendi a chamada.

Matie – Estou….

Liam – Vai á janela do teu quarto…

Matie – O quê? – esfreguei os olhos, bati levemente com as mãos na face para ter a certeza que estava acordada e não a dormir

Liam – Vai á janela do teu quarto por favor…

Matie – Mas…

Liam – Por favor, é a última coisa que te peço! – levantei-me da cama a achar tudo aquilo muito estranho. Puxei a persiana da janela para cima e assim que abro a janela e espreito para fora vejo o Liam á porta do meu prédio – podes vir ter comigo?

Matie – Ham…Liam…eu vou já!

Voltei para dentro completamente atordoada. Atirei o telemóvel para cima da cama, calcei as pantufas rapidamente e nem me lembrei de mudar de roupa. Saí do meu quarto sem fazer muito barulho para o meu irmão, peguei nas chaves de casa e saí de casa mesmo de pijama. Desci as escadas aos saltinhos, duas em duas escadas, para chegar o mais rapidamente lá baixo. O meu coração quase se explodia de tanta ansiedade e o no meu estomago estavam a bater as famosas borboletas que me provocavam arrepios por todo o corpo. Assim que cheguei ao último patamar de escadas parei, respirei fundo e avancei calmamente. O Liam assim que me viu sorriu docemente trazendo-me uma calma extrema que me tranquilizava. Abri a porta e encostei-me a ela. Ficamos vários minutos simplesmente a contemplamo-nos. Naquele momento tudo no Liam parecia mais que perfeito, o brilho do luar no rosto dele realçava toda a beleza dele. Tudo o que me atraia nele estava a deixar-me louca. Já não aguentava muito mais todo aquele desejo que nutria por ele. Baixei um pouco a cabeça porque começava a sentir o sangue a aflorar nas maças do rosto. Liam aproximou-se lentamente de mim e com um gesto delicado fez-me levantar a cabeça e olha-lo nos olhos.

Liam – Eu acredito em ti… - aquelas palavras fizeram-me sorrir de imediato, uma emoção forte percorreu todo o meu corpo contraindo-se.

Matie – A sério? – precisava de o ouvir mais uma vez para ter a certeza que não se tratava de um simples sonho

Liam – Acredito em ti! Desculpa tudo o que disse…era só da boca para fora! Nunca quis que fosses embora, nunca!

Matie – Eu também nunca quis ir embora! Mas o que me disseste, deixou-me completamente de rastos…

Liam – Eu sei e desculpa-me por isso! Eu só estava inseguro…eram demasiadas coisas e a imagem de tu estares a beijar o Rafael nunca saiu da minha cabeça! Estava a matar-me por dentro…

Matie – Isso é responsabilidade minha! Nunca devia ter aceite falar com ele principalmente depois de tudo o que me fez sofrer! Embora, inconscientemente, soubesse que já não restava qualquer dúvida em relação á não reconciliação, naquele momento, precisava mesmo dessa garantia para poder seguir! Para poder-te dizer que estou livre…livre para voltar a amar mas completamente cheia de medo e disposta a arriscar tudo!

Liam – Tens a certeza que é isso que queres?

Matie – Tu não?

Liam – É o que mais quero desde que me esbarrei contra ti! Poder-te dizer o quanto a tua beleza ofusca o meu olhar, o quanto o teu sorriso me faz tremer de emoção, o quanto umas simples palavras tuas fazem com que o meu mundo tenha sentido! O quanto és especial…

Matie – Tu também és muito especial…a forma como me agarraste sem eu própria me aperceber, a forma como entraste na minha vida e no meu coração sem ter dado permissão para entrares! A forma como me fazes sorrir….

Liam – Então acho que estamos em sintonia…

Matie – Perfeitamente!

Ele inclinou-se sobre mim, baixando lentamente a cabeça pousando delicadamente a testa dele na minha. Conseguia sentir a sua respiração descompassada ao mesmo ritmo da minha. Senti o meu coração acelerado quando os seus lábios tocaram os meus e os arrepios em quantidade alarmante, no momento em que as suas mãos firmes envolveram as laterais do meu rosto. Assim que deixei de sentir os lábios dele contra os meus abri as pálpebras lentamente desejando que não se tratasse de um sonho. Viu-o sorrir, naquele momento não havia palavras que conseguissem explicar tudo o que estava a sentir. Voltamos a unir os nossos corpos através dos nossos lábios desta vez de forma mais serena mas não menos eletrizante.

Liam – Estás muito bonita de pijama! – disse-me assim que nos separámos, senti de novo as minhas maças do rosto quente ou se calhar, sempre assim tiveram e nem tinha dado por isso

Matie – Não gozes! Já estava na cama quando ligaste… - tentei desculpar-me e não parecer tão envergonhada

Liam – Mas posso dizer que ficas muito sexy assim!

Matie – Essas coisas não se dizem Liam! Fico sem jeito e bastante envergonhada…

Liam – E queres que diga a quem? A outra rapariga?

Matie – Experimenta só fazeres isso! Nem sabes de que terra és…

Liam – Prometo que não! Só tenho olhos para ti….

Matie – Oh que querido! É pena saber que é isso que todos os homens dizem mas que nunca fazem…quando vêm um rabo de saias ficam logo de olhos em bico!

Liam – Não sou desses…prometo!!

Matie – Ah ah! A tua cara estava giríssima!

Liam – Queres ir até á praia? Neste momento tudo o que não quero é largar-te!

Matie – Não sei se sabes mas não gosto de me sentir muito apertada e está descansado que não fujo!

Liam – Ainda bem! Vamos?

Matie – Sim!

Encaminhamo-nos em direção á praia, não era muito longe, demoraram uns meros cinco minutos até sentirmos a areia nos pés. Tirei as pantufas que trazia calçadas e o Liam os ténis. A conversa fluía entre nós como as ondas do mar que vinham rebentar bem pertinho de nós. Sentamo-nos perto da água mas onde houvesse ainda areia seca. Encostei-me ao Liam e ele envolveu-me com os seus braços entrelaçando uma das mãos nas minhas. Era como se o mundo tivesse parado para nós e apenas o único motivo para viver fosse a presença do outro. Fiquei alguns segundos a olhar para a minha mão em contacto com a dele.

Matie – Tudo isto parece um sonho… - disse ao mesmo tempo que elevava um pouco a mão mostrando-lhe o que queria dizer

Liam – Podes acreditar que não é um sonho, é a mais bonita e pura das verdades!

Matie – Ainda há poucos dias pensava que isto tudo era impossível e agora…tudo é mais que perfeito!

Liam – Porque tu estás aqui! Tu é que tornas tudo isto perfeito!

Matie – Com tantas palavras bonitas começo a ficar mal habituada…depois queixa-te se quero ainda mais!

Liam – Isso não é sacrifício nenhum para mim…vem diretamente do meu coração!  

Matie – Pronto! Deixemos de lamechices…vou até á água!

Liam – Estás louca? A água está gelada!

Matie – Ainda melhor…é que estou muito quente! Não sei se sabes mas houve uma certa pessoa que me veio acordar a uma certa hora da noite que me fez aquecer demasiado!

Liam – Ah foi? Eu acho que essa pessoa fez muito bem!

Matie – Podes ter a certeza que fez muito bem! –

Dei-lhe um beijo rápido nos lábios e levantei-me em direção ao mar. Parei até ao momento em que a água me dava pelos calcanhares. O Liam veio ter comigo envolvendo os braços dele na minha cintura, colocando o queixo dele no meu ombro. Conseguia sentir o cheiro dele bem perto de mim misturado com a maresia tornando uma mistura fantástica. Ficamos naquela posição durante um tempo infinito, aquela paisagem do mar com a lua no céu era demasiado bela para ser descrita.

***

(as conversas em português estão em negrito)

- Matilde Sofia!! – ouvia aquela voz bem lá no fundo mas depois senti uma mão a mexer fortemente nos meus braços. Abri levemente os meus olhos e a imagem pouco nítida no inicio tornou-se na imagem do meu irmão com cara de poucos amigos! – Matilde acorda! – assim que consegui acordar em condições olhei para o braço que estava por cima da minha cintura, era do Liam. Ainda estava na praia e já era de dia

Matie – OMG! – virei-me e acordei o Liam – Liam…Liam…acorda!

Liam – Só mais cinco minutos…

Matie – Qual cinco minutos…anda Liam! Ainda estamos na praia… - ele abriu os olhos e quando viu aonde estávamos levantou-se rapidamente – é o meu irmão… - disse assim que o Liam viu o meu irmão

Rúben – Tu queres-me explicar o que é se está a passar aqui?

Liam – O que é que ele disse? Não me parece muito contente…

Matie – Pudera! Já viste onde estamos?!

Rúben – Matilde!

Matie – Bom dia maninho querido!

Rúben – Ai ai! Quem é que é esse?

Matie – Este é o Liam…foi um rapaz que conheci em Londres!

Rúben – Conheceste em Londres? E o que ele está aqui a fazer contigo na praia?

Matie – Bem…isso é uma longa história…

Rúben – Eu tenho tempo!

Contei-lhe tudo mas ele não me parecia lá muito convencido!

Matie – Vou voltar para Londres novamente…

Rúben – Com ele?!

Matie – Sim…

Rúben – Isso não me parece nada bem…não sei se ele tem as melhores intenções contigo!

Matie – Ele veio de prepósito ter comigo…vale alguma coisa!

Rúben – Não sei não!

Matie – Por favor…

Rúben – Liam...

Liam – Sim!

Rúben – Se eu por acaso sei que magoaste a minha irmã ou fizeste alguma coisa que a deixou triste eu juro-te que não ficas para contar a história!

Liam – Posso garantir-lhe que isso não vai acontecer! Tem a minha palavra…

Rúben – Espero bem que sim, é que não quero acabar com um membro de uma banda tão conhecida como a tua!

***

Depois de me despedir do meu irmão e de arrumar tudo fomos para o aeroporto para apanhar o voo.

Liam – Tenho uma surpresa para ti…

Matie – Para mim?

Liam – Sim! Quero que ponhas estes auscultadores e que faças tudo o que te dizer!

Matie – Mas para quê?

Liam – Confias em mim?

Matie – Confio, claro que sim!

Liam – Então põe!

Estranhei aquela conversa mas coloquei os auscultadores, a música estava bastante alta o que não me deixava ouvir o exterior. Fiz tudo o que ele me mandou fazer através das mensagens que escrevia no telemóvel. Achava aquilo ridículo mas lá o fiz! Assim que desembarca-mos nem queria acreditar no que via!



Espero que tenham gostado =)
Obrigada por todos os comentários, são um grande incentivo! Muito obrigada...

Liis 

4 comentários:

OneDForever disse...

AMEI! Posta rápido!

Rita disse...

estava a ver que nunca mais , awwwww , estou a adorar ! :D continua <3

- S disse...

Lindo *.*

OneDirection ♥ disse...

AMEI ((: