sexta-feira, 30 de março de 2012

I need you more than everything



Olaa =) Aqui está a primeira parte desta mini-história. Espero que gostem. Queria pedir 10 comentários e amanhã posto a continuação (se nada acontecer entretanto)!
Espero que gostem =)

(PARTE I)

Depois de meses a fio a tentar convencer a irmã a leva-la ao concerto dos One Direction, Anne, conseguiu obter um “sim” da irmã mais velha. Anne estava radiante com a noticia e não o conseguia esconder ao mesmo tempo que Emma tentava esconder o nervosismo de ter tomado aquela decisão.

- Nem sabes o quanto te amo neste momento Emma! – gritou Anne ao mesmo tempo que saltava para cima da irmã – gosto mesmo muito de ti!

- Tanta graxa, meu Deus! – disse a rir enquanto Anne enchia a cara dela de beijinhos – fogo miúda, acalma essas hormonas.

- Oh. Estou feliz! Tu sabes que eu queria mesmo ir ao concerto e os pais só me deixam ir contigo…por isso és a melhor mana do mundo…

- Eu só aceitei porque senão teria de te ouvir para o resto da vida a reclamar que tinhas perdido a melhor oportunidade da tua vida para os conheceres… - Emma desviou o olhar da irmã – como se eles fossem grande coisa…

- Ainda me vais dizer um dia o porquê dessa raiva toda por aqueles pobres rapazes. Eles não te fizeram mal nenhum, são giros como tudo e cantam ainda melhor…é só qualidades!

- Tu é que sabes!

- E também vamos á sessão de autógrafos do dia anterior não vamos?

- Eu já estou por tudo…vamos ao que quiseres Anne!

Emma subiu as escadas até ao seu quarto e deitou-se em cima da cama tentando não pensar no sarilho que se tinha metido. “Como é que vou conseguir estar na mesma sala que ele, no mesmo espaço? E se ele reparar em mim? E se ele me reconhecer e fazer de conta que nunca me viu na vida…E se ele me despreza? Eu não vou aguentar se isso acontecer…porque é que fui aceitar isto? Porque é que a minha irmã tinha que os idolatrar? Que raio de destino é o meu…Emma colocou a almofada em cima da sua cabeça e deu um berro, abafado pela almofada.  

***

(Dia da sessão de autógrafos)

Anne tinha acordado radiante da vida ao contrário da irmã. Rapidamente se vestiu e preparou-se para o momento tão esperado. Anne parecia uma criança no dia de natal a abrir os presentes, estava demasiado excitada para ficar quieta.

- Fogo Anne! Tem lá calma sim? Ainda tenho que ir buscar as chaves do carro… - respondeu rapidamente quando estava a ser puxada pela irmã para sair de casa – estão no quarto… - informou-a

- Então vai lá! Mexe-me essas pernas!

Assim que chegaram ao local da sessão de autógrafos, a Anne foi de imediato para a fila. Depois de algumas horas á espera, Emma decidiu sentar-se no chão á espera da irmã. Pôs os fones nos ouvidos para não ouvir toda aquela gritaria nem as músicas deles. Mesmo assim, após muito esforço de contenção, não conseguiu evitar olhar para ele. “Não olhes para ele…” imperou a si própria. “Não olhes para ele…não olhes Emma! Ai…aquele sorriso, aquele olhar…Emma pára!” Pôs a mão no seu peito e sentiu o batimento acelerado do seu coração. “Porque é que isto me está a acontecer? Porque é que ele não arranja uma namorada e acaba de uma vez por todas com o meu sofrimento? Desaparece do meu coração…Por favor…

   ***

- Mano, acho que acabei de ter uma visão do paraíso! – disse Harry meio aparvalhado para o Louis, que se encontrava do seu lado esquerdo, dando-lhe uma cotovelada

- Autch! – Louis voltou-se para o amigo – O quê puto?!

- Acabei de ver a rapariga mais linda do mundo… - respondeu pausadamente e com um sorriso aparvalhado formado nos seus lábios  

- Não são todas? – respondeu Louis a rir enquanto autografava mais um CD

Louis desviou brevemente o seu olhar de Harry e dos CD’s que estava a assinar e prendeu-se numa rapariga que estava sentada no chão encostada a uma parede. Ele não lhe conseguia ver a cara porque os cabelos longos castanhos tapavam-lhe o rosto para além das milhares raparigas que se encontravam entre a rapariga e ele. “Tenho a sensação que conheço aquela rapariga…aqueles cabelos…”

- Afinal qual é que é a rapariga? – Perguntou curioso ao Harry

- Ela está quase aqui a chegar. É aquela rapariga de calças de ganga e com uma camisola roxa, tem os cabelos castanhos compridos. Está ao lado de uma de vestido vermelho…

Louis tentou ver a rapariga com aquelas descrições, e depois de alguns segundos a percorrer a sala com o olhar, finalmente a encontrou. O seu olhar percorreu a jovem de dezassete anos e foi então que ouve um clique, “Anne”. O nome da rapariga veio-lhe logo á memória juntamente com um segundo nome “Emma”. Aquele nome, aquela rapariga, fez-lhe despertar algo que já não sentia á muito tempo. “É a Emma, não acredito que a Emma está aqui…”. Levantou-se instintivamente da cadeira á procura da rapariga que estava sentada no chão mas as raparigas eram tantas que o impediam de a ver novamente.

- Fui eu que a vi primeiro ouviste? – reclamou Harry – Sei que ela é bonita mas é para mim… - Louis não ouviu o que ele disse, estava demasiado concentrado em procurar a Emma no meio da multidão – Louis!

- Epah! O que é que foi? – respondeu sentando-se novamente na cadeira continuando a dar autógrafos

- Isso pergunto eu! Que olhar é esse?

- Lembraste de te ter dito no início que andava à procura de uma rapariga que tinha magoado?

- Lembro-me perfeitamente! Ainda tens a foto dela no quarto… - Louis olhou para ele envergonhado – deves pensar que não sabia! Está no meio das tuas coisas…mas passando há acção, onde é que ela está?

- Agora não sei porque já não a vejo mas a irmã dela é a rapariga por quem te encantaste! – Harry olhou para ele não acreditando no que estava a ouvir, tudo aquilo parecia demasiado surreal

- Estás a gozar certo?

- Não, não estou puto. É mesmo ela…elas eram praticamente iguais, tenho a certeza que é a irmã dela - Harry voltou a sorrir, chegando-se para mais perto do Louis

- Não querendo parecer demasiado apressado nem desesperado, mas podias-me dizer qual é o nome dela?

- Anne! E a irmã dela chama-se Emma!

Louis ainda não queria acreditar que tinha acabado de a encontrar. Depois de vários meses á procura dela sem ter qualquer tipo de resposta, desistiu. Achava que não poderia ter uma segunda oportunidade depois do que fizera. Ela merecia alguém bem melhor que ele…pelo menos era o que achava até aquele momento. Tinha de ser um sinal do destino…tinha que encarar a presença dela ali como uma segunda oportunidade mesmo sabendo que ela não quer falar com ele.

- Anne…nunca nenhum nome me soou tão perfeito… - disse Harry divagando para o ar sendo interrompido por um pontapé do Louis – Estou a sonhar, importaste?

- Tenho que fazer alguma coisa…nunca estive tão próximo dela como agora, não posso deixar passar esta oportunidade senão nunca mais volto a vê-la. – a cabeça de Louis trabalhava a toda a velocidade para conseguir engendrar um plano brilhante para conseguir falar com Emma

- E o que pensas fazer?

- Acho que vou pedir aos seguranças para não as deixar sair e depois vou falar com ela, o que achas?

- Eu acho que sim...mas caso isso falhe, vou dar o meu número à Anne, só para prevenir, estás a ver? – Harry piscou-lhe o olho e Louis sorriu  

- Estou a ver estou…o que tu queres sei eu!

Enquanto Anne não chegava, Louis foi falar com um dos seguranças para fazerem com que a Emma esperasse por ele até ao final da sessão. Quando Anne chegou, Harry estava mais nervoso do que habitual, parecia que já nem sabia escrever.

- Sou uma grande fã vossa, gosto muito das vossas músicas e de vocês! – Louis olhava fixamente para Anne. Podia ver nela muitos traços do corpo de Emma. Ela passou da frente do Louis para o Harry – posso dar-te dois beijinhos? – Harry não estava a contar com aquilo por isso ficou envergonhadíssimo

- Ham…claro… - Harry levantou-se e deu-lhe dois beijinhos deixando-a radiante – espero que gostes! – ao mesmo tempo que lhe dava o autografo

- Tenho a certeza que sim! – Anne dirigiu-se para o pé da irmã seguida do olhar de Louis, mas com tanta gente voltou a perder o rasto à Emma

- Já podemos ir embora daqui? – perguntou Emma cansada de estar á espera

- Este foi o melhor dia da minha vida! O Harry deu-me dois beijinhos, foi um querido! Agora o Louis ficou a olhar para mim com uma cara, até me assustei!

“Não! Ele não a pode ter reconhecido…de certeza que ele já não se lembra de mim e muito menos da minha irmã…isto são só filmes da minha cabeça”

- Vamos? – perguntou Emma tentando parar de pensar no Louis

- Sim!

- Desculpem meninas… - um segurança tinha vindo ter com elas – tenho uma informação para vocês. Vão ter que esperar pelo final da sessão para receberem um prémio que acabaram de ganhar…

- A sério?! Que prémio é esse? – perguntou Anne entusiasmada

- Vão ter o privilégio de conhecer os One Direction pessoalmente e falar com eles…

- Está a gozar comigo só pode? Eu nunca ganho nada… - Anne não queria acreditar no que lhe estava acontecer. Emma não conseguia esconder a frustração de não conseguir ir-se embora de vez – que cara é essa Emma? Isto é ainda melhor do que alguma vez sonhei!

- Acredito que sim…

***

“Respira Emma, respira. 1,2,3…ele nem vai reparar em ti. De certeza que já não se lembra que tu alguma vez exististes! Vá, tens que fazer isto pela Anne, ela está radiante e não lhe podes estragar este momento”.

Depois de algumas horas mais á espera, os rapazes finalmente apareceram na sala aonde estavam a Anne e a Emma. Assim que eles entraram, Anne saltou do banco aonde estava sentada e foi ter com eles. Pela primeira vez em mais de dois anos, o olhar de Louis chocou com o de Emma. Um silencio formou-se naquela sala, pelo menos para eles dois, pois Anne falava alegremente. Emma tentou desviar o olhar mas não conseguia, estava presa a ele. Não conseguia parar de desejar que o queria bem junto de si, que o queria beijar mais do que tudo, novamente. Queria voltar a ser o que era, poder sorrir com coração, algo que já não fazia há demasiado tempo.  

Abanou negativamente com a cabeça, não podia voltar a cair no mesmo erro de antes. Não podia voltar a confiar nele…não conseguia. Levantou-se do banco e foi ter com a irmã.
“Ela vem aí, o que digo?! Como é que lhe peço desculpa? Como é que lhe digo que estou arrependido do que fiz e que é um erro que quero remediar? Ela nunca me irá perdoar na vida…!”

- Anne vou indo para o carro… - disse Emma ao ouvido da irmã sem nunca olhar para o Louis. Virou costas em direcção á saída mas Louis interveio  

- Espera Emma… - a voz dele fez despoletar o pequeno e frágil coração de Emma de novo para a vida. As batidas descompassadas invadiram o seu peito, aquele formigueiro na barriga voltara a prenunciar-se e a vontade irracional de o ter junto dela aumentava a cada segundo ficando insuportavelmente forte. Respirou fundo e continuou com as suas passadas largas e rápidas para fora da sala dirigindo-se para dentro do carro deixando Louis pregado ao chão.

- Eu não acredito que foste tu… - gritou Anne despertando a atenção de Louis que se fixara na porta de vidro atravessada pela Emma – Como foste capaz? Como? – os berros de Anne podiam-se ouvir em qualquer lado – Eu vou-te partir essa boca toda! – Anne ia direita á Louis mas Harry pegou nela e não a deixou

- Aqui ninguém vai partir a boca a ninguém. Tem lá calma…

- Calma? Como é que me podes pedir calma? Ah, já sei. Deves ser como ele, está-se mesmo a ver… - Anne esperneava por todos os lados para se conseguir soltar – Larga-me Harry!

- Não te largo enquanto não te acalmares…

- Eu jurei a mim mesma que acabava com o tipo que fez sofrer a minha irmã e é isso que vou fazer! – Louis continuava estático a olhar para Anne. Não sabia o que fazer nem o que dizer – Como é que pudeste trair a Emma? – perguntou Anne á beira das lágrimas – Responde-me Louis, como? – Louis não conseguia falar. O que mais queria era poder voltar atrás no tempo para mudar o que tinha feito, o maior erro da sua vida. – A Emma não voltou a ser a mesma depois do que lhe fizeste. A rapariga alegre, divertida, brincalhona que conhecia desde sempre morreu por tua causa. Eu odeio-te tanto por isso que nem imaginas! Odeio-te! – Aquelas palavras doeram ao Louis como nunca pensara. Era como se lhe tivessem espetado infinitas facas no coração…não sabia o que fazer


4 comentários:

Anónimo disse...

Quando é que publicas mais um capítulo da fic?

Liis disse...

ainda não sei porque o capitulo ainda não está acabado. Talvez amanhã ou domingo...

Andreia&Vera disse...

Amei! Está lindo! (ya, eu sei que digo sempre isto, mas é mesmo verdade, acredita)
x Vera

Rita disse...

Quero maaaaais :D, está lindo !