quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Capitulo 25

5



(Carla)

Estávamos todos bastante ansiosos para saber como é que correria a conversa entre o Harry e a Vera. O ambiente estava um bocado estranho mas depressa deixou de estar quando o Louis decidiu armar-se em brincalhão e pôs a malta toda a rir. Não me lembro de rir tanto com um rapaz desde sempre, até me doía a barriga de tanto controlar o riso. As piadas dele iam em foco para a Matilde e para o Liam que não se largavam, estavam constantemente aos beijos. Conhecendo a Matilde como a conheço, o Liam devia ser um caso raro da natureza pois nunca a tinha visto assim tão agarrada a um rapaz. Para a picar também decidi mandar-lhe com uma almofada para o sofá aonde se encontravam sentados.

Carla – Por amor há santa, arranjem um quarto meninos! Há aqui uma pessoa que ainda é menor de idade ó porca!   

Matie – Sou eu ó estupida! A Vera está lá em cima… - retribuindo o mesmo gesto que tinha feito, mandando-me com a almofada

Carla – Não me digas que ainda não tens dezoito anos? – ironizei – Juro que não sabia! Mas vê lá o que andas a fazer, há coisas que ainda não são próprias para a tua idade.

Matie – Ahah! Está descansada que eu não me escandalizo…

Louis – Mas vais-te escandalizar quando vires o Liam na intimidade…

Matie – E quem te disse que já não o vi?!

Louis – UI! Esqueçam…não quero saber pormenores desses!

Filipa – Realmente, que imagem!

Joana – Isso! Deixem isso para os vossos momentos a SÓS! E não comentem…

Matie – Vocês é que começaram….não tenho culpa!

Eles continuaram a discutir até que recebi uma mensagem, era do meu irmão mais velho.

De: Mano P
Olá feia! Como vão as férias sem mim? Deprimentes, calculo, sem a minha presença a tua vida é uma depressão! :P
Vai á internet e procura as capas das revistas de hoje, a Vera aparece nelas todas. :S dá um beijo há minha cunhada linda!
Xau feia e porta-te bem! Qualquer dia faço-te uma surpresa aí!

Carla – Oh Joana, qualquer dia eu esgano-te! – disse irritada com o facto do meu irmão nem me ter mandado um beijo.

Niall – O que é que ela fez? – a expressão do Niall foi tão espontânea e verdadeira que fez todos desatarem a rir enquanto a Joana corava

Joana – O que é que se passa? – perguntou depois de todos terem-se calado

Carla – O teu cunhado mandou-te beijos…

Joana – Ahaha! Deixa-me adivinhar, não te mandou para ti? O teu irmão é um máximo!

Niall – Tenham lá calma meninas! Como é que o irmão dela é teu cunhado?

Joana – Fácil, a minha mana namora com o irmão dela! Conheceram-se numa reunião da escola, imaginem só! O irmão dela é super querido ao contrário da Carla que é uma chata do pior!

Carla – Isso, elogia o meu irmão para o ego dele ficar ainda maior! Não és tu que o aturas, sou eu! – o meu irmão adorava chatear-me o juízo, toda a gente dizia que é normal os irmãos mais velhos chatearem os mais novos mas ele não o fazia ao meu irmão mais novo! Era só a mim!

Joana – É só até eles se casarem no Agosto, depois vão morar juntos!

Carla – Graças a Deus! Já não o suporto!

Louis – Casam-se este Verão?

Carla – Sim, se quiserem eu pergunto ao meu irmão se podem ir também. As meninas vão todas…

Zayn – Não sei se será boa ideia o Niall conhecer a futura família já! – se houvesse um buraco para se esconderem, a Joana e o Niall, tinham-no feito.

Joana – Querem parar com essa história? – ela levantou-se muito rapidamente – vou começar a preparar o jantar!

Carla – Espera! Ainda não contei tudo, mas preciso dum computador primeiro! – enquanto a Matilde foi buscar o computador ao quarto desce o Harry do quarto da Vera – Então?

Harry – O que querem saber?

Zayn – Tudo!

Harry – Ahah! Isso queriam vocês…

Louis – Queres que te dê um beijinho para falares é?

Harry – Deixa estar! Eu falo sem precisar das tuas demostrações de carinho!

Louis – Oh! Assim não gosto! – todos estávamos a rir quando o Harry interrompeu

Harry – Querem saber ou não? – respondemos todos que sim – Bem, pode-se dizer que se formou um novo casal no nosso grupo.

Filipa – Ah!! Não posso! A sério?

Harry – A minha cara deve dizer tudo não? – realmente ele tinha um sorriso de orelha a orelha. Estava mesmo feliz tanto por ele como por ela.

Matie – Agora experimenta magoar a minha Vera, não vives para contar a história!

Harry – Está descansada…eu prometo portar-me lindamente!

Louis – Eu não acredito nisto… - ele fingia que chorava o que me fazia rir – fui trocado por uma rapariga!

Harry – Ainda tenho um lugarzinho para ti especial no meu coração!

Enquanto todos facilitavam o relacionamento entre a Vera e o Harry, eu fui até ao computador que a Matilde tinha trazido e fui ver as capas das revistas de Portugal. Quando cheguei á capa que o meu irmão estava a falar quase que me dava uma coisinha má!

Carla – Pessoal, venham cá! – a Matilde foi a primeira a chegar e soltou um berro – vou ler em voz alta, é mais fácil!


Vera Machado de Lima foge do noivo para Londres!

Depois da notícia do noivado entre a herdeira Machado de Lima com o filho mais novo do magnata Gouveia ter sido confirmada pela família do noivo, eis que Vera decide fugir com as amigas para Londres sem Miguel. Fontes próximas da família Gouveia terão confirmado que nem Miguel nem a restante família sabia desta “escapadela” para Londres, “não tínhamos conhecimento que ela (Vera) estaria fora do país. Quando íamos tratar de alguns pormenores do casamento é que descobrimos que Vera não se encontrava no país”. A mesma fonte foi ainda mais longe, “foi de muito mau gosto ela não ter avisado sequer o Miguel, ele merecia saber!” Ao que tudo indica já estão a tratar do assunto para trazer de novo Vera para Portugal para os últimos preparativos do casamento a realizar-se, ao que podemos saber, em Setembro. Ainda não foi confirmado o dia mas existem indícios fortes que seja logo no início do mês. Por parte da família da noiva, não quiseram dar justificações sobre o desaparecimento da filha para Londres. Ainda não foram captadas imagens da jovem milionária em Londres pelo que não há confirmação de que esta ainda se encontre por terras de sua majestade. Mas uma coisa temos a certeza, parece haver muitas dúvidas sobre o amor entre eles!   


Matie – Eu juro que mato estes tipos! – ela deu um murro na mesa que me assustou – ai se aquela gente me aparecesse á frente já a minha mão estava marcada naquelas carinhas lindas!

Harry – Isto é mesmo verdade? – olhei para trás e o Harry estava mais branco que nunca. Estava em estado de choque!

Carla – Harry, infelizmente é verdade… - suspirei

Filipa – A Vera vai ficar destroçada…como é que eles tiveram coragem de contar para a imprensa o casamento e falar assim da vida dela? Aquela gente só pensa mesmo em dinheiro…

Joana – Ainda por cima dão a entender que a Vera é a má da fita, embora ache que o Miguel até não é como a restante família! Ele pareceu-me bastante porreiro…

Carla – Com aquela família nem que ele fosse feito de ouro, não me casaria! Já viste bem o que está aqui escrito? Parece que querem mesmo fazer-lhe mal!

Zayn – Vocês importam-se de nos explicar o que se passa? A Vera está noiva?!

Filipa – Eu explico! O pai da Vera, que é milionário, quer casa-la com o Miguel, que é filho de um milionário também, para bem dos negócios! Basicamente é esta a história!

Niall – Que cena mais bizarra!

Louis – Parece dum filme…

Matie – Alguém tem de lhe ir contar…

Harry – Eu conto! Afinal eu sou o namorado e esse tipo não vai casar com ela ou eu não me chamo Harry Styles!

Carla – Vai com calma sim?

Harry – Eu sei! Vou lá…

Aquela noticia era mesmo má demais para ser verdade. A primeira coisa que pensei depois do choque foi ver as horas e apercebi-me que se o pai dela quisesse vir cá busca-la tinha mais do que tempo para chegar.

Carla – Não vos quero alarmar nem nada mas a revista saiu de manhã e supondo, que o pai dela já sabia antes de ir para as bancas, o mais provável é ele aparecer aqui em casa! – quando acabei de falar a campainha tocou, parecia destino. A Matilde olhou para mim e eu levantei-me – eu vou lá! – assim que abri a porta o pior que podia acontecer há Vera aconteceu, o pai dela estava á porta – Boa tarde tio! – exclamei

Pai da Vera – Boa tarde, Carla! Como estás?

Carla – Muito bem, obrigada! – respirei fundo – então o que o traz por cá? Ouve algum problema grave, tio? – tinha por hábito chamar-lhe tio por iniciativa da parte dele, como passávamos bastante tempo em casa dela o pai dela preferiu assim.

Pai da Vera – Nada de mais! Posso entrar ou vou ficar á porta!

Carla – Que cabeça a minha…desculpe, tio! Entre, entre, esteja há vontade! – assim que ele entrou a cara delas mudou por completo e a presença de tantos rapazes não agradou em nada o pai da Vera

Pai da Vera – Boa tarde meninas, e…

Carla – São uns amigos nossos… - as meninas levantaram-se e foram cumprimenta-lo e os rapazes fizeram o mesmo – É o Zayn…o Liam…o Louis e o Niall! – dizia há medida que se iam levantado

Pai da Vera – Muito gosto! – ele fez uma pausa e continuou – já vi que estão atualizados – ao mesmo tempo que olhava para o portátil da Matilde – já devem saber porque estou aqui!

Carla – Pois, nós gostamos de estar sempre informados! Bem, eu gostaria de falar consigo sobre esse mesmo assunto, se pudesse ser…

Pai da Vera – O que vim fazer é exclusivamente dirigido á Vera. Onde é que ela está?

Carla – Desculpe voltar a insistir mas precisava mesmo de falar consigo…não perderá muito tempo asseguro-lhe!

Pai da Vera – Muito bem. Vamos falar…

Carla – Siga-me por favor! – levei-o até ao jardim e sentamo-nos na mesa que se encontrava num canto

Pai da Vera – Afinal do que quer falar?

Carla – É sobre a Vera e o casamento!

Pai da Vera – Carla, nós já falamos vezes sem conta sobre este assunto e a conversa acaba sempre da mesma maneira. Há casamento!

Carla – Mas já reparou bem nas capas das revistas? Eles estão a denegrir a imagem da Vera sem fundamento nenhum e por aquilo que a Vera me tinha dito, o casamento não era para ser anunciado na imprensa!

Pai da Vera – Isso são coisas que mudam. E quanto ás revistas, elas têm razão, nunca deveria ter permitido que a Vera tivesse vindo!

Carla – Ela está tão feliz aqui!

Pai da Vera – Estará melhor quando estiver lado a lado com o Miguel.

Carla – Desculpe-me a minha falta de delicadeza mas a sua filha não está, não esteve nem nunca estará feliz ao lado do Miguel. Ela não gosta dele e não quer passar o resto da vida com um casamento de fachada!

Pai da Vera – Eu também não me casei por amor e não morri. Por vezes temos de fazer sacrifícios para um bem maior!

Carla – E para isso é preciso hipotecar a felicidade da Vera? Se também não se casou por amor sabe muito bem o que a sua filha vai sofrer!

Pai da Vera – Eu amo a minha mulher, aprendi a ama-la ao longo dos anos e é isso que a Vera vai acabar por fazer.

Carla – Por favor, oiça-me…

Pai da Vera – Olhe Carla, sabe que gosto muito de si e admiro muito a sua maneira de ser, é muito diferente das raparigas da sua idade. Mas neste caso, está enganada e não há anda que possa fazer para o remediar!

Carla – A Vera gosta…

Pai da Vera – Ah…já estou a ver aonde é que queria chegar com esta conversa toda. Não me digas que ela tem namorado?

Carla – Sabe como são as coisas nestas idades…

Pai da Vera – Ela está comprometida! Quando é que ela percebe isso?

Carla – Por favor tio. Eu sei que gosta muito dela, não lhe faça isto…

Pai da Vera – Onde é que ela está?

Carla – Tio…

Pai da Vera – Diz-me imediatamente!

Carla – Está no quarto!

(Vera)

Estava-me a sentir cada vez mais fraca, devia ser da fome. Conseguia ouvir perfeitamente o meu estomago a roncar. A demora do Harry com a minha comida estava-me a deixar ansiosa. Encostei-me á cabeceira da cama à espera dele e passados alguns minutos ele entrou dentro do quarto sem a comida que lhe tinha pedido e com uma cara horrível.

Vera – Então amor? A minha comida?

Harry – Precisamos de falar… - ele sentou-se á minha frente e pegou na minha mão. Estava a achar aquele comportamento muito estranho.

Vera – Não dá para comer primeiro? É que estou a morrer de fome! – perguntei enquanto punha a outra mão na barriga no intuito de fazer parar aquele barulho irritante

Harry – Infelizmente o que tenho para te dizer não é o melhor! – já estava a ficar realmente preocupada o que provocou em mim um misto de emoções bastante forte.

Vera – Ai…Harry o que se passa? – perguntei já impaciente

Harry – Só te digo quando tiveres calma… - aquela conversa estava-me a começar a irritar e o Harry não se descosia!

Vera – Harry Styles fala de uma vez por todas! – exclamei. Ele olhou para mim e sabia que não estava na brincadeira por isso tinha mesmo que falar.

Harry – Tens algum computador aqui? – fiquei confusa com tamanha pergunta mas depressa lhe respondi

Vera – Tenho, está ali em cima da secretária! – ele levantou-se e foi até ao computador. Esteve em frente a ele durante alguns minutos e depois trouxe-o até mim

Harry – Lê!

No ecrã estava uma notícia, no início não estava a perceber o porquê daquilo mas quando li o título tudo fez sentido. “Vera Machado de Lima foge do noivo para Londres”. Só de repetir aquela frase na minha cabeça fazia-me desejar acabar com a pessoa que tinha escrito aquilo. Com o cursor baixei rapidamente a página numa tentativa desesperada de ver se haviam fotos minhas. Como nem tudo poderia ser mau, pelo menos ainda não tinha aparecido com o Harry. Voltei novamente para o início da notícia e comecei a lê-la atentamente. Á medida que lia as palavras escritas naquela folha mais me doía o coração. A minha vida, que tanto fiz para não merecer comentários insultuosos por parte das revistas, estavam a escrutina-la como se não merecesse alguma consideração. Ainda por mais, achavam mal a minha ida para Londres! Como é que esta gente pode achar isto? E ainda para piorar as coisas, tinham contado sobre o casamento! Tinha pedido, quase desesperadamente, para que não se soubesse á família dele e depois fazem-me isto! Quando acabei de ler só me apetecia mandar com o portátil para bem longe de mim! Já não aguentava mais, tinha sido a gota de água! Não queria nem podia continuar a deixar que aquele casamento absurdo fosse para a frente! Estava a sentir-me mesmo muito frustrada que tive de dar um murro bem forte na parede do quarto.

Harry – Fala comigo!

Fechei o computador e coloquei-o no fundo da minha cama. Queria dizer alguma coisa mas nem sabia como nem o que dizer. Fechei os olhos e fui consumida por uma tempestade de emoções. O meu corpo tremia tal e qual como a minha voz. O meu coração estava estático, parado, gélido. Depois de um momento de choque comecei a perceber a grandiosidade do problema e o nome do meu pai apareceu de repente nos meus mais profundos pensamentos. Ao que tudo indica já estão a tratar do assunto para trazer de novo Vera para Portugal… Aquela frase voltou a ecoar ferverosamente nos meus pensamentos e o medo de voltar a Portugal para bem longe do Harry fez-me começar a chorar lentamente!

Harry – Por favor fala comigo…amor!

Quando ele me chamou de “amor”, bem, nem sei explicar o que senti. As palavras são demasiado limitadas e não demonstram os sentimentos que realmente transportam. E não são só as palavras, mas a pessoa que a disse. O Harry estava a proporcionar-me momentos que nunca pensei que pudessem existir. Assustava-me a forma como já não conseguia ver a minha vida sem ele sabendo que o meu pai não demoraria muito tempo a chegar. Assustava-me o facto de não saber se tinha coragem de dizer tudo o que sentia ao meu pai. Assustava-me ainda mais desiludir o Harry com a minha cobardia!

Harry – Queres que te abrace?

Abanei afirmativamente com a cabeça e assim fez. Envolveu-me com os seus braços enormes e puxou-me contra si. Sentia-me protegida, como se houvesse um mundo só nosso. Houve enorme descarga emocional sobre mim que me fez chorar ainda mais. Ele tentava a todo o custo acalmar-me enquanto sussurrava ao meu ouvido “estou aqui contigo...”, ”vai tudo correr bem”. Como gostava de acreditar que tudo ia correr bem… Levantei a cabeça para olhar para ele e qual não foi o meu espanto quando vi algumas lágrimas também no rosto dele. Senti-me ainda mais impotente pelo facto de não saber o que fazer. Elevei a minha mão que tremia como varas verdes e limpei-lhe as lágrimas do rosto. Assim que a mão tocou no rosto, ele fechou os olhos o que me fez arrepiar. Limitei-me a limpa-las e assim que terminei dei-lhe um beijo na bochecha. A respiração dele estava alterada, sabia o que ele queria. Fechei os olhos e beijei-o, no momento em que os meus lábios tocaram nos dele tudo mudou. Ele rapidamente respondeu ao beijo e deixei-me levar pelo momento.

 - Vera! – quebramos o beijo assim que alguém entrou no quarto e chamou-me. Quando ouvi aquela voz desejei mais do que nunca que fosse um pesadelo. Levantei-me num ápice da cama e algo caiu sobre mim. Só consegui ouvir o Harry a chamar por mim e tudo se apagou.
  



Desculpem a demora mas com testes e mais testes tem sido bastante complicado. Não se se está grande coisa porque o fiz um bocado em contra-relógio para não ficarem mais um dia sem o novo capítulo. Os comentários têm sido sensacionais, por isso, quero mesmo agradecer o vosso apoio. Tem sido uma excelente motivação e inspiração!

Obrigada 
Liis


7 comentários:

OneDirection ♥ disse...

AMEI , como sempre (: ; a tua fic é a melhor que já li até agora *-*

filipa margato disse...

adorei, está mesmo lindo *.*

Anónimo disse...

Fantástico!!! Quero mais!!! Quando publicas??

ASilva (; disse...

AMO a tua fic *.*
É uma das melhores de todos os blogs que sigo (;
Parabéns :D

Anónimo disse...

Quando publicas o próximo capítulo? :)

Anónimo disse...

Quando publicas?

Mariiana Oliveira disse...

Amo, amo e amo* <3 Quando publicas o p´roximo capítulo. Estou super ansiosa*
Parabéns ;)