quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Capitulo 22




(Vera)

Já não me sentia assim tão nervosa como hoje estava desde o dia em que me fui candidatar para a faculdade. Eu e o Harry tínhamos saído da casa da Matilde pouco tempo depois de Matilde e Liam terem largado a bomba do namoro. Sentia-me um pouco perdida em pensamentos e em formas de começar uma conversa minimamente coerente sem ficar corada ou envergonhada. Estava estão aérea que nem tinha reparado que o Harry tinha ficado para trás e só me apercebi do sucedido quando ele chamou por mim. A forma de como o dizia fazia-me suspirar, o sotaque inglês que punha no meu nome fazia-me acreditar no quão aquilo era real. Virei-me para trás com um sorriso meio envergonhado e encaminhei-me até ele. Com o tempo, fui-me apercebendo de certos pormenores no seu rosto que antes não sabia que existiam. Da maneira como mexia no cabelo, da maneira como sorria genuinamente mas com um toque maroto, das caretas que me faziam rir, do seu olhar brilhante e profundo.

Harry – Estou a ver que a minha companhia é mesmo muito má! Nem deste pela minha falta… - disse assim que cheguei deixando-me bastante encavacada

Vera – Não é nada disso, Harry! Apenas me perdi em pensamentos e quando isso acontece não vejo nem oiço ninguém! Desculpa… - estava mesmo no mundo da lua pois não tinha reparado no carro do Harry que não é nada pequeno!

Harry - Entra…vamos primeiro a um sitio antes de irmos almoçar… - entrei dentro do carro

Vera – Vais-me raptar! – disse na brincadeira – tenho que os avisar antes que desapareça da face da Terra!

Harry – Quero-te raptar para o meu mundo…deixas? – fiquei estática a olhar para ele. O meu cérebro e o meu coração ficaram uns largos segundos a perceber o sentido daquela afirmação e á medida que me ia apercebendo, fui ficando corada.

Vera – Ham…pois… - não sabia muito bem o que dizer. Estava tão atrapalhada que não conseguia dizer uma frase que fizesse um mínimo de sentido na minha cabeça – desde que o teu mundo não seja muito longe…

Harry – Está descansada que apenas te queria levar para um sítio que tenho aqui dentro de mim chamado coração…gostava muito que quisesses entrar… - a sonoridade das palavras dele era música para o meu coração. Sentia-me cada vez mais num beco de saída e pela primeira vez na minha vida, queria gritar ao mundo o que realmente ia na minha alma

Vera – De certeza que é um lugar muito bonito mas preferia não abrir essa porta do teu mundo já. Se alguém tiver de sofrer, que seja eu…

Harry – Ninguém tem que sofrer…é muito mais simples do que parece!

Vera – Harry não vamos por aí…quero apenas diverti-me contigo, rir contigo, antes de estragar tudo com o que te vou contar…

Harry – Nada vais estragar o que eu sinto, podes ter a certeza! Mas se queres diversão eu sei o lugar ideal!

Ele não me disse mais nada sobre o sítio que tinha em mente e comecei a ficar deveras preocupada. Ao longo do caminho fomos conversando e aos poucos e poucos fui ficando menos envergonhada e a conversa fluía cada vez melhor. Era fantástico o que ia descobrindo e o quão diferente era a minha impressão sobre ele. Fui-me desligando da minha “personagem” de fã de Harry Styles e tornei-me menos histérica e doida. Não sei ao certo o tempo que demorou a viagem mas paramos em frente ao parque de diversões. Espreitei do carro e aquilo estava apinhado de pessoas, olhei para ele um pouco confusa.

Vera – Tens a certeza que queres ir? Vais ser trucidado se alguém te descobrir…

Harry – Acho que vale a pena o risco! Vamos? – era impossível resistir a algum pedido que fosse vindo dele. Abanei afirmativamente com a cabeça e saímos do carro. Ele pôs um gorro muito giro na cabeça que o tornava ainda mais fofo, algo que achava já praticamente impossível, e também uns óculos de sol. Convínhamos que o sol não era muito, mas dava um certo charme que lhe assentava na perfeição. Cheguei-me perto dele e ele pôs-me o braço por cima de mim que pousava no ombro oposto em que se encontrava, o meu coração disparou na hora.

Vera – Eu não tenho frio Harry… - ao mesmo tempo que tirava o braço dele de cima de mim. Reparei que a expressão facial dele tinha mudado, tinha ficado triste com o meu gesto. Coloquei o meu braço no espaço vazio entre o braço dele e o corpo – assim está melhor! – vi que tinha ficado muito mais feliz, e quando assim é, eu também ficava feliz.

Harry – Onde é que queres andar em primeiro lugar? – perguntou-me depois de ter-mos entrado e pagado as entradas. Aquilo era gigantesco e tinha imensas diversões que nem sabia por onde começar. Como era fanática doida por montanhas russas decidimos começar por lá. – Se tiveres medo podes-te agarrar a mim… - olhei para ele com cara de espanto.

Vera – Oh querido, se quiseres podes ser tu a agarrar-me se tiveres medo porque eu não tenho!

Harry – Oh! – disse indignado – assim tiraste a parte mais interessante da montanha russa!

Vera – Estou a ver estou. O que tu queres sei eu…

Tirando a parte de ter ficado desiludida com a tão pouca adrenalina que a montanha me provocou, valeu a pena ter ouvido alguns gritos do Harry quando as descidas eram mais ingremes embora ele negue tudo.

Vera – Pois, pois! Posso ter muitos defeitos mas a audição não é um deles! Eu ouvi-te muito bem a gritar Harry Styles!

Harry – Queres dizer o meu nome ainda mais alto? – a nossa sorte é que não estava muita gente ao pé de nós e não devem ter ouvido o que dissera – e não gritei Vera!

Vera – Para a próxima gravo os teus gritos!

Harry – E quem te disse que há próxima?

Vera – Ahah! Estás com medo…afinal tenho razão Harry! – ele agarrou o meu braço e puxou-me para a frente

Harry – Vamos para outro…

Vera – Oh Harry ficas tão engraçado quando tens medo! – ele virou-se para mim com cara de poucos amigos o que me fez rir ainda mais – pronto! Já me calei! Prometo não contar ás tuas fãs o quanto gritas na montanha russa!

Harry – Vais ver o que te vou fazer…não perdes pela demora.

Vera – Fico á espera ansiosamente!

O Harry já estava a começar a ficar chateado por isso acabei mesmo por desligar daquele assunto. Andamos em várias diversões e a que menos tinha gostado tinha sido os carrinhos de choque pois não conseguia praticamente sair do mesmo sítio e ele andava sempre a dar-me encontrões. Acabei por desistir de estar no carrinho sozinha e fui para o dele embora ele tenha reclamado.

Harry – Estava a ser tão divertido bater no teu carro…

Vera – Isso, goza comigo, depois não te queixes se eu contar a toda a gente que gritaste na montanha russa!

Harry – Sabes que ficas linda com engrunhas a testa…é sinal que estás chateada! – uau, fiquei espantada a olhar para ele. Tinha sido o primeiro rapaz a reparar num dos meus tiques que faço frequentemente. Normalmente ninguém repara mas ele tinha notado em apenas num espaço de dias.

Vera – Se sabes que estou chateada porque é que me provocas?

Harry – Porque ficas ainda mais linda!

Vera – E tu ficas um chato quando começas a elogiar-me…

Harry – Tu mereces todos os elogios do mundo!

Vera – Está bem! – tentei acabar com aquela conversa que me estava a deixar envergonhada – Mexe lá o carro de uma vez antes que me vá embora!

Depois de algum tempo passamos por uma banca aonde estava um peluche enorme muito, muito, muito giro. Fiquei apaixonada por ele mas para ganha-lo precisava de acertar com umas setas no alvo. A minha pontaria era mais que péssima por isso pedi de forma muito carinhosa que ele o ganhasse para mim.

Vera – Harry… - fi-lo parar mesmo em frente ao peluche – não achas aquele urso muito querido e fofo?

Harry – Queres o peluche?

Vera – Se conseguires acertar no alvo sim!

Mal eu sabia que o urso estava mesmo muito longe de ser meu. Ao início o Harry até estava perto de acertar no alvo mas aos poucos foi-se afastando cada vez mais. Em vez de se concentrar ainda se ria mais da sua fraca pontaria. Ao meu lado estava umas cadeiras, puxei uma e sentei-me a olhar para ele.

Vera – Oh Harry, desiste! Já não quero o urso… - disse já saturada de estar á espera

Harry – Não! Tu queres o urso, eu dou-te o urso!

Vera – Mas com o dinheiro que já gastaste dava para comprar um camião cheio deles! Desiste lá…eu não fico triste, Harry!

Harry – Já disse que não! Agora deixa-me concentrar para conseguir acertar no alvo… - ele continuava a não conseguir meter a seta no alvo até que o homem da banca decidiu intervir

Homem – Já vi que tem um namorado muito persistente! – corei com a afirmação e o Harry também. Se me pudesse enfiar num buraco, enfiava-me.

Vera – Ele não é meu namorado…

Homem – Mas ele gosta muito de si! Não é qualquer um que está este tempo todo aqui para ganhar o peluche…

Harry – Vês? Eu sou um querido! – enquanto mexia no cabelo

Vera – Pronto. És um querido, agora desiste! – o homem da banca foi buscar o peluche que queria e deu-o ao Harry

Homem – Acho que todos já percebemos que não tens muita pontaria…podes levar o peluche á mesma!

Vera – Muito obrigada! – agradeci e o Harry deu-mo o urso – obrigada pelo esforço e dedicação!

Harry – Mesmo assim não estou contente! Devia ter conseguido acertar…

Vera – Deixa lá…eu continuo a gostar de ti com ou sem pontaria!

Harry – Ainda bem! Então que nome é que lhe queres dar?

Vera – Hazza! – ele sorriu – até tem aqui uns caracoizinhos todos jeitosos! – ao mesmo tempo que apontava para eles

Harry – Mesmo assim eu sou mais fofo que ele!

Vera – Isso pensas tu! – abracei-me ao peluche, ele era realmente muito fofinho. Realmente a minha tentação eram ursos de peluche.

Harry – Já começo a ter inveja do urso…

Vera – Ahah! Está descansado que ele não tira o teu lugar…

Harry – Ainda bem! Vamos almoçar?

Vera – Sim!

Fomos comer a um restaurante que estava lá perto. Como não estava com muita fome acabei por comer apenas uma salada e o Harry chamou-me coelha por estar a comer apenas alface e por ter deixado de lado alguns pedaços de frango. Depois de comer apetecia-me algodão doce, fomos busca-lo mas a meio do caminho começou a chover. Fomos para debaixo de um toldo mas o Harry puxou-me para a chuva deixando para trás o peluche.

Vera – Estás doido? Assim ficas doente… - dizia tentando chama-lo á atenção os perigos que podia trazer aquela brincadeira – depois não podes cantar!

Harry – Não te preocupes com isso que eu também não! – ele tinha-me agarrado pela cintura e puxado para mais junto dele. Começou a mexer os pés para a frente e para trás e em pouco tempo estávamos a dançar.

Vera – Não sei se já reparaste mas estou-me a sentir ridícula…nunca na minha vida tinha pensado fazer tal coisa…

Harry – Há sempre uma primeira vez para tudo…

Vera – Se ficares doente e sem voz depois não venhas dizer que a culpa é minha! Eu tentei pôr juízo nessa tua cabeça!

Ele apenas se ria. Estava a divertir-se imenso com aquela situação principalmente quando algumas pessoas passavam por nós a correr para fugirem á chuva. As gotas de água eram cada vez mais frequentes e comecei a sentir as gotas a escorrerem-me pelo cabelo e pela cara. Comecei a perder a noção do tempo e deixei-me levar por aquele momento. Ele aproximava-se cada vez mais de mim, aos poucos, conquistando o espaço que havia entre nós. Não tinha coragem de olhar para ele pois se o fizesse não tinha a certeza de conseguir resistir em acabar com aquele maldito espaço. Assustei-me com a respiração dele descompassada assim que tocou com uma das mão na minha face movendo uma mecha de cabelo da frente dos meus olhos. O meu mundo tinha parado no preciso momento em que o meu olhar encontrou o dele. Já não conseguia resistir mais e também não queria. O Harry pousou a testa na minha e finalmente acabou com os milímetros que nos separavam. O toque dos meus lábios com os dele fez-me esquecer tudo e todos. Ele quebrou o beijo e olhou para mim como se percebendo se queria continuar. Desta vez fui eu que tomei a iniciativa e beijei-o. Tinha a certeza que gostava dele e o que estava a sentir, desde a respiração descompassada até ás borboletas nos estômago passando pelo formigueiro nos pés, era porque gostava dele. Quebramos o beijo quando a falta de ar se manifestou. Por incrível que pareça já não estava a chover.

Harry – Este momento superou tudo o que desejava… - não tinha palavras para descrever o quanto estava feliz – gosto mesmo muito de ti!

Vera – Eu também gosto muito de ti! – ele pegou-me em mim e rodou sobre si mesmo – estás louco?

Harry – Por ti Vera, por ti! – nunca me tinha sentido tão feliz em toda a minha vida como naquele momento

Vera – Harry promete-me uma coisa…

Harry – Tudo o que quiseres!

Vera – Promete-me que lutarás por mim….que tudo isto não passe de um simples namoro de verão!

Harry – Prometo! – ele beijou-me e as lágrimas começaram a escorrer-me pelo rosto, estava na altura de lhe contar – porque é que estás a chorar? – ao mesmo tempo que as limpava em vão

Vera – Harry, eu… - as palavras faltavam-me e a coragem também – eu…eu…eu estou noiva! – assim que me ouvi dizer aquilo era como se me tivessem tirado o chão.

***

(Matilde)

Tinha desafiado a Carla para um jogo e não podia deixa-la ganhar. Depois de cinco jogos estava a ganhar por três a dois e os rapazes divertiam-se a fazer de claque embora fosse só o Liam e o Louis pois a Joana e o Niall estavam á conversa bem alheados do jogo. Entretanto o telemóvel do Liam tinha começado a tocar e ele tinha ido atender para a cozinha. Fiquei a olhar para a cozinha para ver se percebia quem era e a Carla aproveitou para ganhar o jogo.

Louis – Go Carla, Go Carla, Go Carla! – gritava o Louis efusivamente depois de ela ter ganho o jogo

Matie – Não percebo o porquê de tanto entusiasmo, afinal só empataste o jogo!

Carla – Este foi só um pequeno passo para a vitória final!

Matie – Isso pensas tu!

Começamos um novo jogo e o Liam ainda não tinha voltado da cozinha. Estava a ficar preocupada e perdi-me no jogo. Sem dar por isso já estava a perder e estava demasiado desconcentrada para jogar como deve de ser. A Carla acabou por ganhar, ela levantou-se e o Louis também e começaram a dançar uma dança “ridícula” da vitória. Levantei-me e fui ter com o Liam, quando cheguei á cozinha ele já tinha desligado.

Matie – Quem era?

Liam – Promete-me que não ficas chateada… - já sabia que não vinha coisa boa daquele lado

Matie – Não prometo nada, quem é que era?

Liam – Matilde!

Matie – Ai! Já estou a perder a paciência…afinal quem é que era?

Liam – Foi a Emma! – quando ouvi o nome dela só me apetecia esgana-la

Matie – O que é essa queria?

Liam – Queria combinar uma saída mas eu recusei!

Matie – Era só mais o que faltava teres aceitado. Essa miúda tem que perceber que tens namorada…

Liam – Eu disse-lhe mas ela não me pareceu muito convencida para além de achar que não vai desistir tão cedo.

Matie – Ai é? Para a próxima sou eu que atendo e que lhe digo que tens namorada e para te deixar em paz senão vai haver chatices!

Liam – Ui, é melhor ficar bem longe de ti quando tiveres chateada! Não quero sofrer as consequências…

Matie – Acho muito bem! – puxei-o contra mim e beijei-o – anda, tenho uma desforra para pedir! - Fomos para a sala e a Carla e o Louis estavam muito contentes depois dela ter-me ganho – Quero a desforra menina Carla!

Carla – Quando quiseres Matilde!

Matie – Que tal a pares? Eu e o Liam contra tu e o Louis…o que vos parece?

Louis – Vão perder os dois!

Liam – Isso é que vão ver! – sentamo-nos no chão e começamos a definir o nosso plano de ataque. Eu ficava com as teclas de ataque e o Liam com a parte da defesa. Escolhemos as equipas e rapidamente começamos a jogar.

Joana – Meninos nós vamos fazer o almoço… - ouvi a Joana a dizer – importam-se de dizer alguma coisa?

Matie – Não vês que não nos podemos desconcentrar – quando estava a falar tinha perdido uma excelente oportunidade de marcar golo – vês o que faz falar contigo Jo!

Joana – Ok! Eu e o Niall vamos fazer o almoço…

Louis – Mas fica atenta ao Niall senão ele como o almoço antes de ir para a mesa…

Joana – Esta bem!

***

Depois de alguns jogos fomos forçados a parar por causa do almoço quando a Carla e o Louis estavam a ganhar. Depois de muitas palhaçadas durante o almoço e a sobremesa voltamos novamente para a sala para o duelo final. Mas antes que pudéssemos começar o meu telemóvel começou a tocar, era a Vera.  





Espero que tenham gostado!
Se alguém quiser divulgar o meu blog pode-o fazer, estejam á vontade!
Obrigada mais uma vez pelos comentários, são sempre bastante importantes!


Liis

5 comentários:

helena fernandes disse...

está lindo *-*
continua !

filipa margato disse...

está é uma das melhores história que há deles, sem dúvida :)

OneDirection ♥ disse...

AMEIIIII , como sempre claro . ♥
fico à espera do proximo , capitulo (:

p.s: aquela parte da Vera surpreendou - me bastante , quero saber o resto +.+

Mia *.* disse...

ohmeudeus, noiva?! agora tou mesmo ansiosa pelo próximo capítulo! :D

Rita disse...

adoro! Posta rápido :)