segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Capitulo 1

(Matilde)

Peguei nas minhas malas atabalhoadamente e dirigi-me rapidamente para a saída da minha casa e fui em direcção ao aeroporto de Lisboa o mais rapidamente que consegui (de carro, obviamente). Ao chegar senti um alívio enorme por estar em plena partida de novo para Portugal. Aqueles anos em Lisboa tinham sido um martírio para mim e só me trouxeram mágoa e dor. Ao ver no placar o voo para Londres iluminou-me o rosto de tal maneira que só me apetecia gritar de alegria por estar tão perto de mudar a minha vida.

Dirigi-me aos balcões e fiz o check-in e fui para a sala de espera para estar mais confortável. Não sei quantas vezes olhei para o relógio mas foram infinitas, mas o tempo não passava mais rápido. Estava a começar a ficar impaciente com a demora da minha partida e comecei a andar às voltas pelo aeroporto.
Até que, finalmente, ouvi a chamada para o meu voo. Saltei do banco como se este fosse uma mola e dirigi-me de imediato para a porta de entrada. O voo correu bastante bem embora estivesse cheia de ansiedade. Iria passar o Verão todo em Londres para pôr a cabeça em ordem e esquecer tudo o que me tinha acontecido em Lisboa. Assim que pisei as terras de “sua majestade” um sorriso enorme formou-se no meu rosto. Encaminhei-me para a zona das malas e assim que apareceu as minhas duas malas azuis peguei nelas e dirigi-me para a saída. Entretanto recebo uma mensagem mas não consegui ler porque levo um encontrão de uma pessoa e caio em cima das minhas malas.

- Autch! – disse de forma bem audível – Mas esta gente não vê por onde anda? – disse já a barafustar contra quem me tinha feito cair e sem reparar que estava a falar em português

- Desculpa não vi! – disse uma voz masculina bastante suave

- Então tens que começar a usar óculos não? Eu não sou pequena nem pouco mais ou menos! – disse ainda sem reparar quem é que tinha esbarrado contra mim.

- Eu sei! Peço imensa desculpa…deixe-me ajuda-la! – quando a pessoa se baixou é que olho pela primeira vez para ele. O meu coração ficou completamente petrificado ao ver que à minha frente estava o Liam Payne!

- Não é preciso! – ao mesmo tempo que me levantava e que me recompunha. Puxei a minha mala para o pé de mim – tenho que ir! – eu não era grande fã deles, aliás a minha melhor amiga é que era uma fã daquelas mesmo fãs. Mas como passava demasiado tempo com ela a ouvir as músicas deles que o efeito foi começar a detestá-los

- Espere! – gritou, olhei para trás e ele veio ter comigo

- O que foi? Não vê que estou com pressa? – tentei responder o mais secamente possível para ver se ele se ia embora mas ao mesmo tempo sentia algo que não era normal, havia qualquer coisa que me estava a puxar para ficar ali.

- Desculpa mais outra vez!

Apenas sorri e virei as costas juntamente com as minhas malas. Chamei um táxi e fui para a minha nova casa de verão. Assim que dei de caras com o portão da casa fiquei pasmada com a beleza da entrada. Entrei o mais rapidamente dentro de casa e dei uma corrida por toda a casa ficando maravilhada com o meu enorme quarto e com a enorme piscina coberta que tinha só para mim. Desci até à sala e liguei a televisão.

A banda One Direction acaba de chegar ao aeroporto de Londres depois de uma digressão pela Europa e vão ficar os meses de Verão por cá.

Olhei para a televisão e reparei de novo no Liam, ele tinha uma coisa azul na mão que reconhecia de algum lado. Olhei para as minhas malas e percebi que era a etiqueta da mala aonde tinha o meu nome e o número de telemóvel.


1 comentário:

Rita disse...

Comecei agora a ler a tua história e já estou a amar :)