terça-feira, 13 de março de 2012

Capitulo 31




(Matilde)

Depois de vermos o Miguel a sair com o pai e a mãe da Vera do hospital, nunca mais voltaram. Nem sabia o que pensar sobre aquela situação. Eles tinham saído com uma cara bastante séria. A mãe da Vera apenas nos disse que tinham os problemas para resolverem mas que amanhã de manhã estariam no hospital. Realmente estava a achar toda aquela situação demasiado estranha. E para não bastar o Harry também não vinha. Não é que não quisesse que ele ficasse lá mas também a queria ver. Entretanto o tempo foi passando e o sono foi-se começando a apoderar-se aos poucos do meu corpo.

Olhei para os lados e vi que os restantes também já estavam todos mais virados para o sono do que para estarem acordados. O Liam divertia-se a mexer no meu cabelo, ou melhor, andava á procura de mais cabelos louros. Desde que tinha encontrado um cabelo louro no meio do meu cabelo ruivo que não descansava até encontrar outro…

Matie – Será que os teus pais vão gostar de mim? – perguntei-lhe. Depois de toda aquela história da Vera pus-me a pensar. Não sabia como é que os meus pais iriam reagir assim que o apresentar, e muito menos os pais dele.

Liam – Mas que história é essa?

Matie – Não quero que os nossos pais descubram a nossa relação por uma revista, ao mesmo tempo que o mundo inteiro percebes? Para além de não saber se os teus pais vão gostar de mim…

Liam – Achas mesmo que os meus pais não vão gostar de ti? Quando me virem que estou completamente apaixonado e feliz, eles vão-te achar logo um anjo! Quanto ás revistas, também concordo contigo. É um bocado chato descobrirem por outros meios.

Matie – Mesmo assim…eles podem não gostar de mim! Podem achar que não sou suficiente para ti…

Liam – Acho que estes ares do hospital estão a fazer-te muito mal mesmo. Não precisas de ficar insegura porque eu nunca te irei deixar mesmo que eles não gostem de ti. Embora seja impossível alguém não gostar de ti…

Matie – Estás a falar a sério?

Liam – Como nunca falei na vida! Nunca te vou deixar…  

Depois do Liam me ter dado mais alguns miminhos reparei que a Joana tinha adormecido com a cabeça em cima das pernas do Niall. Ele olhava-a de uma forma tão carinhosa e fofa enquanto passava as mãos pelos cabelos dela. Achei um mimo!

Matie – Oh! Tão fofo que é o Niall… - o Liam que ainda se encontrava entretido á procura dos cabelos louros olhou para mim com um ar bastante sério

Liam – Eu é que devia ser a única pessoa fofa da tua vida… - sussurrou-me ao ouvido. Ele tinha o condão de me deixar completamente arrepiada sempre que me dizia qualquer coisa ao ouvido

Matie – Eu também gostaria que não houvesse milhares de fãs a gritarem que te amam mas mesmo assim sobrevivo!

Liam – Mas é só a tua voz que faz despertar o meu coração. Até poderias estar no meio de uma multidão aos berros, se gritasses o meu nome, reconhecer-te-ia de imediato.

Matie – Pois claro… - ao mesmo tempo que apanhava o meu cabelo com um elástico preto

Liam – Achas que não? – olhei para ele e sorri. Estava a começar a gostar daquela pequena brincadeira que estava a fazer

Matie – Diria que é impossível…ainda por cima a minha voz não é muito virada para os berros!

Liam – Sabes porque é que não é impossível? – ele tinha-me feito sentar no seu colo, fitei-o e respondi

Matie – Diz lá! – encostei a minha testa á dele sem nunca desviar o olhar. Aquele olhar fascinava-me, preenchia-me por completo.

Liam – Porque eu nunca perco o meu coração de vista, sei sempre onde é que ele está!

Matie – A sério?

Liam – Sim! Tu és o meu coração e o meu corpo não vive sem ti… - rematou com um beijo apaixonado. As mãos dele que estavam bem firmes na minha cintura voaram num ápice para os meus glúteos apertando-os – Au! – com aquela ousadia sem querer tinha trincado o lábio inferior

Matie – Para a próxima não te estiques, estamos num hospital!

Liam – Podias ter dito apenas…não era preciso magoares-me…

Matie – Que piegas… - passei o polegar no sitio aonde tinha mordido sem querer e depois dei um beijo nessa mesma zona – melhor?

Liam – Nem imaginas o quanto… - encostei a minha cabeça ao ombro do Liam enquanto os braços dele rodeavam a minha cintura. Deixei-me ficar assim uns largos minutos até que decidi ir-me meter com o Niall.

Fui tirar uma foto daquele momento entre a Joana e o Niall para que ela não me viesse com as histórias do costume de que estava a sonhar. O Niall estava tão concentrado a olhar para a Joana que nem reparou no flash do meu telemóvel. Estalei os dedos literalmente em frente á cara dele para ter a atenção dele.

Matie – Como eu te compreendo Niall…ela parece mesmo um anjo quando está a dormir… - acho que nunca tinha visto o Niall tão corado como naquele momento, se ele tivesse um buraco para se esconder já o tinha feito – Não acredito que fiz o Niall Horan corar! Estou tão feliz…

Niall – Matie! Por favor não digas uma coisa dessas…

Matie – Ahaha! Não te preocupes que não digo á Joana que estás apaixonado por ela… - há medida que falava ele ia ficando ainda mais vermelho – acho melhor calar-me antes que te dê um ataque!

Niall – Eu não estou apaixonado… - quando ele acabou de proferir aquela frase olhou para a Joana que continuava a dormir que nem um anjo, e sorriu.

Liam – Claro que não meu! Não se nota nem nada… - Niall quase que fuzilava com o olhar o Liam – deves pensar que não te conheço! Mas se quiseres continuar a negar o evidente, força aí!

Niall – Deixem-me estar… - Acabei por não dizer mais nada e deixei o Niall continuar a contemplar a Joana


(Zayn)

Reparei que a Filipa estava sentada num canto da sala a ler uma revista com a cabeça encostada à parede. Estava tão cansado que precisava de algo para apoiar a minha cabeça para não cair para o lado. Sentei-me ao lado dela, quando o fiz parou de folhear as páginas e olhou para mim. Sorriu. Algo bem forte invadiu o meu corpo, nunca tinha sentido tal coisa. Tinha os joelhos a tremer, o coração a palpitar fortemente e uma sensação esquisita na barriga que não sabia bem explicar. Estava completamente vidrado naquele olhar. Era como se o mundo tivesse parado, nada mais passava na mente apenas ela. Não consegui desviar o olhar até que uma mexa de cabelo preto dela acaba por ir para a frente dos olhos. Não consegui resistir ao impulso de o desviar. Assim que a ponta dos meus dedos tocou na face dela senti-a estremecer. Retirei de imediato a mão e ela voltou a ler a revista com as maças do rosto um pouco mais vermelhas do que o habitual.

Acabei, meio a medo, por encostar a cabeça no ombro da Filipa. Ela fez um movimento rápido o que me fez levantar a cabeça e observei-a. Tinha pegado em todo o cabelo e puxou-o até ao ombro oposto. Fez sinal de que poderia voltar a pôr a cabeça onde tinha. Encostei novamente a minha cabeça ao ombro dela. Conseguia sentir na perfeição o seu cheiro natural misturado com a fragância do perfume. Já sabia que era impossível esquecer aquele cheiro.

Zayn – Que estás a ler? – perguntei. Assim que fiz a pergunta sentia novamente a estremecer.

Filipa – Não estou a ler…estou apensas a ver as imagens! – respondeu após alguns segundos – podes dormir, não me importo – disse docemente. Acabei por sorrir, não sabia muito bem o que dizer

Zayn – Por acaso até estou com sono. A sério que não te importas?

Filipa – Claro que não! Sentes-te confortável nessa posição?

Zayn – Sim sim… - melhor era impossível

***

 - O Zayn dorme que nem um anjinho… - comecei a ouvir qualquer coisa mas não percebi quem é que falava. Uma aragem de ar fresco foi contra a minha cara – vês Filipa, ele dorme! Conta lá… - finalmente tinha percebido de quem era a voz, era a Matilde – Já toda a gente percebeu que gostas do Zayn… - ia abrir os olhos mas acabei por não o fazer assim que ouvi aquela frase. Sabia que não o deveria fazer, era muito feio estar a ouvir as conversas mas não resisti. Queria saber a reposta dela, queria saber se sentia o mesmo que eu – …e não me olhes desse jeito. Eu conheço-te…

Filipa – Já te disse que não quero falar do assunto…

Matie – Lá por não falares do assunto não quer dizer que ele vai desaparecer mais rapidamente. Bem pelo contrário, cresce ainda mais…

Filipa – Tu és mesmo chata, chatinha!

Matie – Até parece! Só te quero ajudar, mais nada…então, apaixonada ou não? – os segundos seguintes pareceram autenticas horas, parecia que ela nunca mais falava.

Filipa – Se estar apaixonada significar que não o consigo tirar da minha cabeça, que sempre que ele se aproxima de mim sinto os meus joelhos tremer, uma sensação esquisita na barriga, arrepios sempre que me toca, que coro sempre que fala para mim, então sim, estou apaixonada! – não queria acreditar no que tinha ouvido. Ela gostava de mim…Naquele momento só me apeteceu beija-la, mostrar que também gosto dela. Mas acabei por não o fazer, assim saberia que estava a ouvir a conversa.

Matie – Eu sabia que gostavas dele! Tu nunca me enganaste…

Filipa – Isso fala alto! Diz mais alto que gosto dele!

Matie – Já te disse que ele continua a dormir…Voltando ao assunto, não estás a pensar dizer-lhe?

Filipa – Achas? Estás maluca ou quê? Se depender de mim ele nunca irá saber…

Matie – Não achas que ele tem o direito de saber? Quem sabe se ele também não gosta de ti…nunca saberás se não tentares!

Filipa – Matie não te iludas…não sou o tipo de rapariga que o Zayn gosta! Além disso tu sabes muito bem o que quero fazer depois do verão…

Matie – Sim sei. A viagem pelo mundo. Andaste a trabalhar para ganhar dinheiro para a viagem. E o que é que tem?

Filipa – O que é que tem? Tem tudo. Qual é a relação que sobrevive durante meses sem nos vermos? Eu não pretendo voltar para casa no final de um mês ou dois…para além de que ele tem a banda e também anda a viajar…

Matie – Melhor ainda. Em vez de ires sozinha, coisa que não me agrada nem um bocadinho, ias com eles. Viajavas á mesma mas no meio de uma banda…

Filipa – Por favor Matie. Que raio de ideia é essa? Assim é que a relação não resultava mesmo…a vermo-nos vinte e quatro sobre vinte e quatro horas era dose, ele fartava-se logo de mim…

Matie – Quando se ama não se farta!

Filipa – Com um feitio como o meu? Esquece, ele acabava comigo ao final de uma semana!

Matie – Deixa de ser negativista! Tenho a certeza que se ele disser que gosta de ti, tu não lhe consegues resistir!

Filipa – Consigo pois!

Matie – Claro que consegues…é por isso que ele está aqui a dormir ao pé de ti! Não consegues ficar longe dele…

Filipa – Nem me fales nisso! De vez enquanto passa uma aragem por aqui e o perfume dele vem diretamente para o meu nariz! Fico do tipo, WOW, só m apetece beija-lo! Ou então quando ele se mexe, ainda á pouco a mão dele foi parar em cima das minhas pernas, ia morrendo de vergonha!

Matie – Ahah…Queria ver se ele estivesse acordado…

Filipa – Morria na hora! Juro que não entendo o que sinto…

Matie – Porquê?

Filipa – Quando fomos sair, eu não sentia esta coisa esquisita, não tinha espasmos sempre que me toca! Depois houve um momento, não te sei dizer qual, que fez o clique…ficou tudo diferente…

Matie – É a velocidade do amor! Atinge-nos tão depressa que nem damos conta!

Filipa – A culpa é toda tua…

Matie – Minha?

Filipa – Sim tua! O nosso objetivo era vir para Londres mudar de ares, espairecer, ganhar energia…não para esbarrares contra um rapaz para te apaixonares, e muito menos ter quatro amigos lindos de morrer! Não bastava teres arranjado um só para ti? Não era preciso arranjar um para cada uma de nós!

Matie – Não tenho a culpa do Liam ser um desastrado com os pés e se ter esbarrado em mim…foi o destino!

Filipa – Que destino! Podias ter arranjado era uns que fossem anónimos e não membros de uma banda mundialmente conhecida!

Matie – Isso é verdade mas não posso fazer nada. No meu caso, embora já soubesse quem é que eles eram, não me apaixonei pelo Liam Payne, membro dos One Direction, mas sim pelo Liam, uma pessoa normal…Agora é só me habituar ao facto de ele ter milhares de fãs e de aparecer em revistas.

Filipa – Já viste que a partir do momento em que assumirem o vosso namoro já não vais poder sair como queres, vamos ter que ter sempre daqueles abutres atrás de nós…

Matie – Se for esse o preço a pagar para poder estar com o Liam, que seja! Só quero estar com ele. Vais ver que assim que disseres ao Zayn que gostas dele, as revistas, as fãs, tudo o resto não importa…

Filipa – Ai Zayn, estás a dar cabo do meu juízo…

Matie – Depois sou eu que o acordo…

Liam – O que é que vocês as duas estão para aqui a sussurrar?

Matie – Conversas de raparigas!

Liam – Ui, então não quero saber! Olha-me só para este a dormir, vou acorda-lo!

Filipa – Deixa-o estar! Ele está a dormir tão bem…não me está a incomodar nem nada.

Liam – Repete lá isso novamente?!

Matie – O cupido andou a fazer das suas…

Liam – Pois, estou a ver que sim! Não queres ir descansar amor?

Matie – Sim, vamos. Bem Filipa, vê se descansas e tenta não pensar que tens o Zayn mesmo aí ao teu lado!

Filipa – Que engraçadinha menina Matie! Liam, vê se pões juízo dentro da cabeça da tua namorada, ela está cada vez pior!

Liam – Eu gosto dela assim!

Filipa – Ai o amor…põe-nos tão cegos!

Matie – É não é? Dorme bem!

Ouvi uns passos, deviam ser eles a afastarem-se. Pouco tempo depois, senti alguém a mexer no meu cabelo, era ela. Passou com as pontas dos dedos pela minha testa e depois os lábios dela tocaram na mesma zona em que tinha passada os dedos. Sentia-me a pessoa feliz do mundo. Só me apetecia levantar e andar aos saltinhos. Parecia uma daquelas crianças no natal quando recebem os presentes.

Filipa – Dorme bem… - disse ela depois do beijo. Não consegui conter e um sorriso acabou por se formar nos meus lábios. Estava demasiado feliz. Acabei por “fechar os olhos” desta vez mesmo para adormecer.


***

Acordei com o habitual barulho de um hospital. Abri os olhos e estavam imensas pessoas naquela sala de espera. Mais do que a última vez que fechara os olhos. Os outros quatros continuavam a dormir. Levantei-me devagar para não acordar a Filipa mas, ou ela estava acordada ou então sou um desastre a levantar-me.

Zayn – Desculpa…não queria acordar-te!

Filipa – Já estava acordada. O barulho do hospital não me deixou dormir… - ela sorriu. Tinha o sorriso mais perfeito do mundo – então queres ir comer qualquer coisa? Estou um bocadinho faminta…

Zayn – Claro. Podemos ir lá fora…há um café mesmo aqui em frente com bom ambiente!

Filipa – Pode ser.

Zayn – Acordamo-los?

Filipa – Não me parece que eles queiram ser acordados. Estão muito bem agarradinhos uns aos outros!

Zayn – É também acho. Vamos?

Quando entramos no café, as poucas pessoas que estavam no local olharam para nós. Parecia que tinham visto aliens! Começaram a cochichar entre sim mas não percebi porquê. Chegamos junto do balcão e em cima deste estavam umas revistas. Assim que vi a capa logo percebi o porquê daquele borburinho todo.

Filipa – A nova conquista do bad boy dos One Direction Zayn Malik! – ela tinha acabado de ler o titulo da revista. Olhei para ela, não sabia o que dizer – bem, podia ter sido pior. – vi-a pegar na revista e foi-se sentar numa mesa vazia

Zayn – Tens a certeza que queres ler? – perguntei

Filipa – O pior que pode acontecer é dizerem que sou feia, gorda ou então interesseira. Mas fica descansado, o mais provável é rir-me disto! Bem, vamos lá ler isto…

Nesta quarta-feira, Zayn Malik, um dos membros da fomosa banda One Direction, foi encontrado a almoçar, num dos melhores restaurantes da cidade, na companhia duma bela rapariga. Pelo que podemos constatar estavam bastante íntimos e não faltaram sorrisos e gargalhadas em todo o almoço. A bela morena, ainda desconhecida, parece ter conquistado o coração de um dos rapazes mais apetecíveis em todo o mundo. Algumas fãs dos One Direction aproximaram-se do casal mas nem aí a rapariga tirou o sorriso. Será que a nova conquista vai aguentar a pressão mediática do namorado? Bem, é esperar para ver!

Filipa – Até não foi mau!

Zayn – Não foi mau? Foi péssimo! Já viste a maneira como falam de ti? Como se fosses apenas mais uma para me divertir…

Filipa – Eu sei que não és desses, não te precisas de justificar. Eu só não gosto do facto de dizerem que somos namorados…não quero ter as raparigas todas atrás de mim a desejarem-me mal!

Zayn – Desculpa…

Filipa – Não tens que pedir desculpa, a culpa não é tua. Agora se te afastares de mim por causa disto sou eu que dou cabo de ti!

Zayn – Por muito que quisesse já não consigo estar longe de ti… - só depois de falar é que me apercebi do que tinha dito. Acho que corei nesse mesmo instante. Ela apenas sorriu e eu também. Ficamos alguns segundos apenas a olhar um para o outro. Foi algo mesmo muito intenso, nunca tinha vivido nada igual.

Filipa – Acho melhor irmos embora porque as pessoas estão a olhar muito para nós – as pessoas pareciam que estavam á espera de presenciar alguma coisa. Era um bocado constrangedor.

Zayn – É. Também acho. Vamos?

Filipa – Sim!

Quando voltamos ao hospital já todos estavam acordados. Ao mesmo tempo que entrámos a Vera, o Harry e os pais dela também estavam a entrar na sala de espera. O pai dela vinha com cara de poucos amigos. O que será que vinha dalí? 




Finalmente o capitulo. Foi tirado a ferros. Eu não tive tempo para reler por isso se tiver alguns erros não liguem.
Vou tentar publicar o próximo amanha porque já tenho mais tempo.
Espero que tenham gostado...

Liis